Extintor de incêndio molecular pode impedir que as baterias explodam.

ep_r_h9xpcj_16x9

 

Não tenha mais medo que o seu smartphone exploda.Cientistas projectaram um extintor de incêndio molecular activado pelo calor que poderá tornar as baterias de íões de lítio mais seguras. Estas fontes de energia são amplamente utilizados nos telemoveis, portateis e em todos os carros eléctricos, como os produzidos pela Tesla Motors. E embora os cientistas continuem a fazer as baterias melhor, há sempre o risco de que elas pegem fogo. Hoje na Science Advances, os investigadores apresentam uma solução, mostrando que um fósforo comum contendo um retardador que se chama TPP pode rapidamente apagar um fogo quando adicionado à solução do electrólito que transporta a corrente entre os terminais positivo e negativo da bateria. Melhorar a segurança vem com um grande compromisso embora: sacrificar o poder.O TPP amortece a condutividade do electrólito, de modo que os investigadores projectaram uma cápsula para manter os dois componentes separados. Fibras de tamanho micrômetro de um revestimento de polímero sensível ao calor foram criadas em torno do TPP, e quando o calor da bateria começa chegar a um ponto critico, o revestimento do polímero derrete, liberta o TPP no electrólito e pára a chama em menos de meio segundo. O sistema poderá ser colocado entre os polos positivos e negativos de baterias de ões de lítio, o que sec espera evitar que os carros eléctricos auto-dirigidos tenham o mesmo destino que aqueles hoverboards inflamáveis do Natal passado.

 

 

 

Traduzido de: http://www.sciencemag.org/news/2017/01/molecular-fire-extinguisher-could-prevent-batteries-exploding

Autoestradas electricas não vão ser realidade nos próximos tempos.

Autoestradas elétricas ainda vão demorar a chegar.

 

   A Casa Branca tem um plano para fazer autoestradas interestaduais  preparadas para carros elétricos, mas os americanos ainda só pensam em utilizar combustíveis fosseis.

   O governo dos EUA anunciou um plano para criar 48 rodovias nacionais  onde existirão abundantemente pontos de carregamento para veículos elétricos. E nó bem precisamos deles.

   O governo de Obama anunciou que planeia transformar quatro dúzias de interestaduais, totalizando quase 25 mil quilómetros de rodovia, no que chama de “corredores de carregamento de veículos elétricos nacionais”. Isto significará que elas são estradas regulares, mas com pontos de carga suficientes ao longo do seu percurso, o que permite impedir que os motoristas entrem em pânico pela possibilidade de ficarem sem energia em qualquer ponto.

  Na verdade, haverá um muitos postos de abastecimento para abastecer o seu veículo elétrico. “Os motoristas podem esperar  estações de carregamento a cada 80 Kms”, disse numa declaração divulgada pela Casa Branca. Novos sinais padronizados desenvolvidos pela Federal Highway Administration orientarão os motoristas para a  sua carga.

electrichighway

Barack Obama visita um Chevy no North American International Auto Show de  2016 em Detroit.

Uma rede de carregamento abrangente é vital para o sucesso dos carros elétricos. Sem ela, viagens longas permanecerão inconvenientes, porque até mesmo a distancia percorrida pelos melhores veículos elétricos é hoje apenas um pouco mais de 480 Kms, e só parece possível chegar aos 650 Kms nos próximos anos.

O anúncio, infelizmente, deixa de lado a questão bastante importante de quando os novos pontos de carregamento serão instalados. Mas enfatiza que  os estados, utilizadores e montadoras estão a ser encurralados para que isto aconteça o mais rápido possível. Vários estados também prometeram expandir as suas frotas de veículos elétricos como parte do novo esquema.

Enquanto esperamos que a infra-estrutura seja construída, podemos tentar nos consolar com o fato de que os veículos novos nos EUA são, em média, mais eficientes do que nunca. A eficiência média de combustível dos novos veículos dos EUA, diz a Agência de Proteção Ambiental, subiu de 40 Kms por galão no ano de 2014 para 41 Kms por galão em 2015.

Ainda assim, isto fica muito aquém das metas propostas, que são estabelecidas em 59 Kms por galão para 2017 por veículo e 88 Kms por galão para 2025. Os números não são ajudados pelo fato de que os americanos gostam de comprar camiões ao invés de automóveis – os fabricantes de automóveis estão a fazer o possivel para aumentar a sua economia de combustível, mas é muito difícil conseguir um uma diminuição nos consumos de combustível.

Estes postos de abastecimento não chegarão nos próximos tempos.Vamos aguardar pelo futuro.

Traduzido de :https://www.technologyreview.com/s/602802/electric-superhighways-cant-come-soon-enough/?utm_campaign=internal&utm_medium=homepage&utm_source=top-stories_4&set=602798